Por todas elas

9:54 PM

Estou até agora sem palavras. Tudo começou por acaso, quando uma amiga do facebook confirmou presença em um evento aqui da cidade chamado "por todas elas". No mesmo dia eu tinha comentado que aqui, na minha cidade, não haviam muitos movimentos feministas, não que eu soubesse. Caiu como uma luva. 
Na hora eu já pensei no que faria pra convencer minha mãe e chamei algumas amigas para participarem também. Só uma mostrou interesse e assim fomos, nos programando durante a semana de como nos encontraríamos numa quarta feira, 1 de junho, no centro da cidade. 

Já se passaram 3 dias. Como toda pessoa ansiosa, eu já fui planejando numa terça a noite, meu esquema para o dia. Era sair do colégio, almoçar, comprar cartolina e encontrar com a Ana. Tudo saiu diferente do que eu esperava. Não andamos pelas ruas, até porque éramos um grupo pequeno, mas diverso pra caramba. Homens e mulheres, homossexuais, heterossexuais, negros, brancos. Todos juntos em prol de uma coisa. 



Pegamos nossos cartazes e fomos até a rua. Gritamos, cantamos e todas essas formas de manifestação como um pedido, "por favor, parem. Só queremos direitos iguais. Queremos andar sem medo pelas ruas." 



Acho que a melhor parte foi quando corremos até a igreja, para nos protegermos da chuva e acabamos desistindo da proteção e correndo até o trio elétrico, para dançarmos ao som de Carol Conka. 



Cheguei encharcada em casa, quase tomei uma bronca, mas sai de lá com o sentimento de realização. Eu tinha feito algo por mim, por todas aquelas mulheres e as que ainda estão por vir. 

Eu sai muito mais feliz do que quando eu cheguei. 


You Might Also Like

0 comentários