Persona non grata

5:24 PM

Eu sabia que seria um dia ruim, afinal, eu iria tirar o siso e quem adora extrair um dente, definitivamente não é normal. Dor, anestesia e aquele gosto de sangue a cada 5 minutos não é algo que eu curta. Meu dentista pediu uma radiografia e eu fui, tava tudo ok, a dor não era tão forte e eu conseguia falar numa boa. Até que eu sai da radiografia e fui andando até o carro, que teve que ser estacionado em outro lugar porque eu esqueci a maldita carteirinha e tive que voltar pra pegar.

Cara, na boa, você podia ter desviado o olhar.

Eu fui desviar de uma antiga colega, eu não queria cumprimentar ninguém e parecer antipática (não dá pra sorrir quando você está anestesiada de um lado só) e porra, lá estava você. Me olhando. Eu nem sei porque estou escrevendo sobre isso, já que não vale a pena relembrar as merdas que você fez e que estragaram totalmente a amizade que tínhamos.

Mentiu, inventou, se fez de santo... E eu fiquei uma semana baqueada. Uma semana tentando entender porque você mexeu comigo e porque diabos minha mãe ainda me associa à você. É um saco. Tu és una persona non grata.

Ai, ai... Uma semana foi o suficiente para trazer de volta o seu melhor e pior lado, que predomina incessantemente, Foi o suficiente para me fazer perceber que graças a Deus o que eu sentia por você não passava de paixão adolescente, de carência e algo mais, que não sei nomear.

Pensar em você é pensar em algo perdido e eu, sinceramente, cansei de tentar procurar pelas coisas...


A.

You Might Also Like

0 comentários